Acontece

Eventos

Soma de esforços: Faculdade Integrado, empresa I. Riedi e movimento Cascavel Rosa contra o câncer de mama

Evento reuniu quase 300 mulheres de seis municípios. Oncologista tirou as dúvidas do público presente.

Centro Universitário Integrado

publicado em 22/10/2017 20h09

Na última quinta-feira (19) à tarde, mais de 270 mulheres dos municípios de Campo Mourão, Mamborê, Engenheiro Beltrão, Fênix, Boa Esperança e Roncador coloriram de rosa o auditório do câmpus da Faculdade Integrado. A promoção, que faz parte do Outubro Rosa, é resultado de uma parceria entre os cursos de Agronomia, Enfermagem e a empresa I. Riedi Grãos e Insumos juntamente com o movimento Cascavel Rosa.  

 O convidado para um papo descontraído com as clientes da empresa e acadêmicas das duas graduações foi o oncologista Márcio Jachetti Maciel, do Centro de Oncologia do Oeste do Paraná (COOP), localizado na cidade de Cascavel. Dentre os vários assuntos abordados, o oncologista falou sobre a importância de manter hábitos de vida mais saudáveis e sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama. “A prevenção não está só em um exame, mas também nas atitudes”, disse Márcio.

Para a coordenadora do curso de Agronomia, Nádia Cristina Oliveira, é papel da Instituição levar conhecimento à comunidade em que está inserida. “Nós temos um público grande de produtoras na região e é nosso papel, na extensão rural, proporcionar conhecimento”, afirmou Nádia.

Damiana Guedes da Silva, coordenadora de Enfermagem, destacou a importância da multiplicação da informação. “Hoje, ela recebe essa educação em saúde, mas, depois, ela irá propagar no seu meio, para aquelas que não conseguiram vir”, comentou ela.

Segundo a diretora presidente, Wanda Inês Riedi, esse já é o quinto ano em que a iniciativa é realizada. “Nós sozinhos não fazemos nada. O Integrado veio para ajudar ainda mais”, acrescentou Wanda.  

Quem passou pelo local pôde realizar teste de glicemia, aferir a pressão arterial e receber orientações de técnicas para realizar o autoexame da mama com estudantes de Enfermagem. “A proposta é prevenção. Quando descobertos logo no início, 80% dos cânceres de mama têm uma sobrevida e a curabilidade é muito maior”, explicou Damiana.