Acontece

Ensino

Tecnologia aliada ao ensino de Medicina

Mais de R$ 5 milhões foram investidos na infraestrutura do curso e capacitação dos docentes.

Faculdade Integrado

publicado em 08/11/2017 18h12

Preocupados em formar um profissional completo, o Centro Universitário Integrado não poupou na hora de aliar alta tecnologia à humanização no ensino-aprendizagem. De acordo com o diretor administrativo da faculdade, Pedro Montans Baer, foram investidos mais de R$ 5 milhões na infraestrutura e capacitação dos docentes. “A tecnologia tem contribuído muito para o desenvolvimento da Medicina e isso não é diferente quando falamos em ensino”, assegura Baer.

Os 50 estudantes podem contar com o que há de mais moderno no ensino de Medicina: bonecos de alta fidelidade, mesa anatômica 3D, acervo bibliográfico, microscópios e atlas anatômicos digitais. Tudo para garantir que a teoria possa se tornar muito mais próxima da realidade.

 

Simulações realísticas

Para que, antes do contato com pacientes reais, os acadêmicos saibam como lidar com cada situação, os bonecos de alta fidelidade reagem de maneira muito semelhante a humanos: choram, suam, têm convulsões, podem até mesmo realizar partos e muito mais. Esse é um dos fatores que asseguram que os estudantes de Medicina do Centro Universitário Integrado passem por simulações bem próximas do dia a dia de um médico, desde atendimentos de urgência e emergência até manutenção básica e avançada.

“A tecnologia traz a possibilidade de criar ambientes muito próximos do real para que o estudante tenha o aprendizado no contexto correto”, ensina o coordenador do curso, professor doutor Edson Michalkiewicz. Para o coordenador, o contexto é essencial para que as ferramentas adequadas ao processo de atendimento sejam utilizadas. “Uma pessoa com parada cardíaca no meio da rua é uma coisa, dentro do hospital é outra situação. Um indivíduo que aprendeu a atender parada cardíaca só no hospital não sabe atender na rua, e vice-versa”, complementa.

Para que, além de apenas participar das simulações os estudantes possam, também, analisar as atitudes tomadas, cada uma das cenas pode ser gravada em alta resolução e, inclusive, transmitidas em tempo real para os demais colegas, que assistem a tudo em monitores de 78 polegadas sensíveis ao toque que estão distribuídos nas seis salas de tutoria existentes.

Além dos bonecos, atores também devem participar da aula, seguindo um roteiro orientado pelos tutores para dar ainda mais veracidade a algumas situações, como falar sobre uma doença para um paciente. Neste contexto, o curso humaniza o ensino de Medicina, já que os estudantes aprendem a se sensibilizar com os pacientes e realizar um atendimento empático.