Acontece

Ensino

Brinquedoteca: Um mundo de desenvolvimento e aprendizagem

Em 2015, projeto do curso de Pedagogia da Faculdade Integrado atendeu cerca de 1.000 crianças.

Faculdade Integrado

publicado em 09/08/2016 15h58 | atualizado em 10/08/2016 12h06

Um dos serviços disponibilizados pela Faculdade Integrado é a brinquedoteca. O projeto, que está sob responsabilidade do curso de Pedagogia, desenvolve aspectos sociais, culturais, cognitivos, físicos e emocionais das crianças. Segundo Eliandra Vendrame, professora da disciplina de Fundamentos e Metodologia da Educação Infantil, as atividades possibilitam um contato com diversas modalidades de brincadeiras, momento em que as crianças aprendem e se desenvolvem mais rapidamente. “Elas passam a entender melhor o mundo, interagir com os colegas e vivenciam momentos de simbolização e de criatividade”, explica Eliandra.

A brinquedoteca possui três espaços que auxiliam no desenvolvimento infantil. A sala de contação, a de dramatização e a sala de psicomotricidade. Na primeira, as crianças ouvem histórias que, muitas vezes, são dramatizadas ou narradas com a ajuda de fantoches e objetos representando os personagens. É um momento mágico que transmite aos alunos o prazer, a imaginação e o encanto pelo livro contribuindo, assim, para a formação de um futuro leitor.

Já o espaço dedicado à dramatização é onde as crianças reproduzem, por meio de brincadeiras, situações que já vivenciaram. “O papel do pedagogo é observar e fazer registros para tentar entender como elas representam aquele papel desempenhado no momento do brincar”, afirma Eliandra.

O ambiente da brinquedoteca ainda conta com uma sala de psicomotricidade, na qual os estudantes do curso planejam atividades lúdicas voltadas para o desenvolvimento dos aspectos psicomotores: cognitivo, afetivo e motor.

A existência da brinquedoteca favorece não só a comunidade, mas também o próprio curso de Pedagogia da Instituição. “As acadêmicas do 3º período preparam um plano de aula para cada sala, sob a supervisão dos professores”, declara Telma Cristian Amaral, coordenadora do curso.

O projeto existe desde 2013 e atende crianças da Educação Infantil das escolas públicas e particulares.